Páginas

31 de dez de 2009

O jardineiro

Amar
De olhos fechados é mais fácil.
Enquanto as bocas se beijam,
As palavras se calam.

Sonhar
De olhos fechados é mais seguro.
Enquanto os planos dormem,
Os erros se perdem no escuro.

Os beijos platônicos
Estão esquecidos nas gavetas do possível.
Todos os enganos,
Feitos de frutos mal escolhidos,
São os sonhos que o destino
Não fez a vida sonhar.

E o jardineiro,
Podando as rosas,
Cortando as venenosas,
Não espera belas ou cheirosas.
Porque rosa que é rosa,
Em si, só nasce rosa.

(escrito originalmente em 23 de setembro de 2009)

2 comentários:

Cristiano Contreiras disse...

Inteligencia poética e boa sensibilidade criativa reinam por aqui, caro

te sigo, parabéns pelo blog!

Idelbrando disse...

muito bom.
sabe que sou fã de suas palavrasa fortes porem belas.