Páginas

23 de mai de 2010

Um Parêntese ao Poeta


Gran finale
Damário da Cruz

Avise aos amigos
que preparo o último verso.
A vida
dura menos que um poema
e no alvorecer mais próximo saio de cena.


Damário da Cruz: morreu em 21 de maio de 2010, não o conheci, mais se foi o seu ultimo desejo distribuir estes versos, eis ai.


“A possibilidade de arriscar é que nos faz homens”


Tomara que a mim também seja dada essa ultima graça de poder escrever antes da morte, com ela a bater na porta.

Pesquisando por ai algo mais dele, achei tal belo poema:

Caixa - preta


Sou um homem.
Portanto,
mais que palavra.


Não pronuncio
o sentimento
apenas como palavra.


O que foi dito
ao entardecer
não se confirma
na madrugada.
O que foi visto
no sonho
não se confronta
com a realidade.


Sou um homem.
Portanto,
uma surpresa.

2 comentários:

Tânia regina Contreiras disse...

Postei hoje também DAmário da Cruz, que não morreu, está aí, em vários lugares, nas mesas de bar, nas camisetas, nos pôsteres nas paredes: ela não foi!

Beijos,
Tania

Mila disse...

Lindos teus escritos!
Bjs
Mila