Páginas

14 de mar de 2010

Por que o silencio...

Preciso ouvir o que a vida tem a dizer antes das palavras. Na verdade, me dói esse grito mudo das dores que não cabem nas palavras. O poeta quer, agora, se matar com tudo o que ele fez; pintar um quadro com o sangue do próprio pulso(sem cortar as veias, só fazer sangrar. Por que é na dor que a gente sente mais e é no vermelho do sangue que se reflete a verdadeira face de um ato desesperado): tenho um texto no meio de meus rascunhos e uma idéia de desenho na minha cabeça sobre essas duas imagens. Mas sinto que minha arte, a arte que vejo agora em mim, minha verdadeira arte, ainda esta por nascer. E só ouvindo este silêncio que agora risca a minha pele é que eu vou conseguir parir esse filho sem pai nem mãe, que não vai se lembrar de sofrer uma só partícula de lágrima por sua orfandade... É que O QUE EU QUERO É PARIR A MIM MESMO!

2 comentários:

Andréia Alves Pires disse...

Parir a si mesmo. É uma imagem interessante. Sabe, acho que quando a escrita é boa, a pessoa lê e fica sem ter o que dizer de imediato. Fica em silêncio. Fiquei assim aqui.
Abraço. :)

†† ÐART VAMPIRE LINCOUT†† disse...

Silência por ter necessidade de calar, de ouvir o inaudivel aos som que quem não quer ouvi-los, é transparecer o pensamento nas próprias palavras silenciadas pela maior fonte de conhecimento que se chama o próprio calar-se.

att,

Peregrinador das Ilusões

Abraço